GestaCare Gestação 35+

Gravidez e Desenvolvimento Fetal

GestaCare Gestação 35+

Suplementação específica para mulheres com mais de 35 anos, que estão grávidas ou desejam engravidar, grávidas gemelares ou gravidezes mais exigentes.

Formulação enriquecida com Ácido Fólico bioativo (Quatrefolic®), Colina, DHA Vegetal, Gengibre, Iodo, Ferro, entre outros ativos, para uma suplementação adequada durante o período da gravidez e desenvolvimento fetal.

A Idade Materna

A nossa sociedade tem vindo a sofrer alterações significativas nos hábitos e estilo de vida nas últimas décadas. As pessoas desenvolvem os seus projetos pessoais, académicos e profissionais até mais tarde, estão vários anos a estruturar uma carreira profissional e a sua estabilidade financeira, e é frequente adiarem projetos de maternidade.

 

Gravidez depois dos 35 anos

Quais os riscos associados?

Ser mãe do primeiro filho a partir de certa idade pode ter algumas desvantagens do ponto de vista clínico. No caso da mãe, destaca-se o risco de diabetes gestacional, tensão arterial elevada, placenta prévia, risco de aborto ou parto prematuro, que podem ser acrescidos. No caso do feto, as malformações e as cromossomopatias, como o Síndrome de Down.

Os especialistas alertam que apesar de ser uma gravidez que, em termos estatísticos, apresenta um maior risco de morbilidade, com mais complicações maternas e fetais, não é contraindicada. A gravidez em idade avançada exige uma vigilância especial, mas, desde que haja um acompanhamento adequado, a probabilidade de tudo correr bem é muito elevada.

O que fazer para prevenir e reduzir riscos?

Para reduzir o risco de complicações é fundamental aumentar os cuidados pré-natais na gravidez acima dos 35 anos, cuidados esses que deverão ser iniciados ainda no período pré-concecional. Aconselha-se, portanto:

  • Fazer uma consulta de avaliação pré-concecional com um ginecologista/obstetra;
  • Identificar eventuais patologias;
  • Avaliar doenças crónicas (hipertensão, diabetes, obesidade, doenças osteoarticulares, entre outras) e estabilizá-las com o apoio dos vários especialistas antes de começar a tentar engravidar;
  • Recorrer a exames como a amniocentese (colheita de líquido amniótico que permite despistar com rigor anomalias no feto); testes bioquímicos (método dos marcadores bioquímicos); biópsia coriónica; os mais recentes testes de ADN do feto (via sangue materno) e as ecografias sequenciais durante a gravidez;
  • Fazer todas as vigilâncias solicitadas;
  • Seguir as recomendações do obstetra;
  • Parar de fumar e consumir álcool ou outras substâncias contraindicadas na gravidez;
  • Tomar a adequada suplementação, em particular de Ácido Fólico, Vitamina D3, Iodo, Colina e outros micronutrientes essenciais à manutenção de uma adequada saúde materna, garantia de melhor desenvolvimento fetal e prevenção de desenvolvimento de defeitos congénitos;
  • Manter um peso adequado e seguir uma dieta saudável, variada e equilibrada.

GestaCare Gestação 35+ - O que é?

Nova fórmula reforçada de Ácido Fólico Bioativo, Vitamina D3, DHA vegetal (Ómega 3), Colina e outros ativos de especial relevância para grávidas com 35+ anos, grávidas gemelares ou gravidezes mais exigentes.

A sua formula foi enriquecida com um maior aporte de Colina e de Ácido Fólico bioativo (Quatrefolic®), em concordância com as mais recentes orientações clínicas internacionais e evidência científica, para suprir as necessidades nutricionais aumentadas das mulheres com mais de 35 anos.

Com Gengibre Nauseastop® na sua formulação, devido à sua ação antiemética amplamente estudada e especificamente desenvolvida para as náuseas e vómitos na gravidez.

GestaCare Gestação 35+ Ver na loja

A Suplementação na gravidez:

O ácido fólico (a Vitamina B9) desempenha um papel chave na redução do risco de desenvolvimento de malformações do tubo neural do feto. O ácido fólico é uma vitamina do complexo B que ajuda a prevenir os defeitos da medula espinhal e do cérebro, os chamados “defeitos do tubo neural”, tais como a espinha bífida ou a anencefalia.

Três em cada quatro malformações congénitas do tubo neural poderiam evitar-se através do aporte de ácido fólico, antes de se produzir uma gravidez (idealmente, 3 a 6 meses antes) e durante as primeiras 12 semanas de gravidez. A evidência da associação, positiva, entre deficiência de ingestão de ácido fólico e as malformações do tubo neural é forte, pelo que o cumprimento das recomendações de suplementação é determinante na prevenção.

A gama de suplementação GestaCare tem um ácido fólico de ultima geração, uma forma de folato biologicamente activo, sem necessidade de metabolização e com reconhecidas mais-valias em comparação com o ácido fólico não metabolizado (tradicional), o único que existiu em Portugal até à data.

O GestaCare Gestação 35+ dispõe de uma dosagem superior de Ácido Fólico Bioativo, para responder às necessidades aumentadas das grávidas de 35+ anos.

Conheça mais sobre Quatrefolic® o ácido fólico de ultima geração presente na composição de GestaCare Gestação 35+.

Recomendado pela American Medical Association e a American Academy of Pediatrics e outros organismos internacionais.

A ingestão materna de colina durante a gravidez tem efeito neurocognitivo benéfico.

Promove o desenvolvimento do cérebro fetal e, assim, diminui o risco de desenvolvimento de doenças mentais.

A sua deficiência pode resultar em pré-eclâmpsia e restrição de crescimento intra-uterino.

O GestaCare Gestação 35+ dispõe de uma dosagem superior de Colina, para responder às necessidades aumentadas das grávidas com 35 ou mais anos.

O Ferro em combinação com alguns micronutrientes, ajuda a aumentar o volume sanguíneo e prevenir a anemia. É importante para o metabolismo energético e para o desenvolvimento do sistema nervoso fetal.

O défice deste mineral pode originar no aumento do risco de baixo peso à nascença, prematuridade, mortalidade perinatal e perturbações no desenvolvimento neuronal. A ingestão diária de 30 mg é a ideal durante a gravidez, sendo necessária a toma de um suplemento deste mineral de acordo com a mais recente evidência cientifica.

A deficiência de Iodo durante a gravidez compromete o desenvolvimento cognitivo fetal. As mulheres em pré-concepção, grávidas ou a amamentar, devem receber um suplemento diário de Iodo de 150 a 200 µg/dia, de acordo com as recomendações nacionais e internacionais.

O Iodo contribui para um bom desenvolvimento neuronal e capacidade cognitiva, estudos recentes efetuados em Portugal alertam para uma inadequada ingestão de Iodo em 80% das grávidas portuguesas pelo que a DGS recomenda fortemente a suplementação.

Saiba mais em:

Artigo de revisão: Suplementação de iodo na gravidez: qual a importância?

Direcção Geral de Saúde (DGS) – Norma de Orientação Clínica nº 011/2013

Status materno correlacionado com resultados obstétricos desfavoráveis como pré-eclâmpsia, diabetes gestacional e parto pré-termo. Influência no próprio desenvolvimento fetal e mineralização esquelética. A vitamina D3 é fundamental para a fixação do cálcio e é fulcral para o equilíbrio entre as reservas maternas e o desenvolvimento do feto.

O GestaCare Gestação 35+ dispõe de uma dosagem superior de Vitamina D3, para responder às necessidades aumentadas das grávidas de 35+ anos.

O zinco desempenha funções cruciais em diversos processos biológicos do organismo, tais como, síntese proteica, metabolismo energético, metabolismo de hidratos de carbono e de lípidos, metabolismo do ADN e é ainda necessário para a diferenciação e divisão celular e bom funcionamento do sistema imunológico.

É necessário para o bom desenvolvimento neurológico do feto e a sua deficiência poderá resultar em malformações congénitas, baixo peso à nascença e morte prematura.

O consumo de Magnésio durante a gravidez está associado à diminuição do risco de pré-eclampsia, de nascimentos prematuros e de atraso no crescimento intrauterino.

DHA é crítico para o crescimento e desenvolvimento do sistema nervoso central (SNC) fetal e infantil, bem como na função visual e neuronal e no metabolismo neurotransmissor.

A importância da suplementação com DHA no contexto da gravidez está descrita na mais recente evidencia científica e recomendações internacionais.

Os suplementos que contemplam DHA de origem animal apresentam um significativo inconveniente para a mulher grávida na medida em que agravam as náuseas e os vómitos induzidos pela própria gravidez. Geralmente apresentam um odor e sabor fortes a peixe, provocam azia,refluxodesconforto gastrointestinal e má digestão.

As melhores práticas e as recomendações internacionais actuais, sugerem fortemente o uso de DHA de origem vegetal no contexto particular da gravidez.

A fonte de DHA presente na composição de GestaCare já é de origem vegetal.

Saiba mais aqui.

Desenvolvido em linha com as recomendações mais actuais dos principais organismos internacionais relativamente ao uso de Gengibre, nas náuseas e vómitos induzidos pela gravidez.

Vários estudos pré-clínicos e clínicos avaliaram o uso de gengibre nas náuseas e vómitos no contexto da gravidez, em alternativa às opções medicamentosas conhecidas.

O GestaCare Gestação oferece NauseaStop®, uma fonte de gengibre desenvolvida para as náuseas e vómitos na gravidez.

O GestaCare Gestação foi pensado para lhe oferecer uma suplementação com a melhor tolerabilidade.

Saiba mais sobre o uso de gengibre na gravidez (ver informação abaixo).

A importância do Ácido Fólico presente no GestaCare - Quatrefolic®

Uma biodisponibilidade e segurança perfeitas

O Quatrefolic®, também conhecido por folato de quarta geração, possui uma melhor solubilidade na água e uma biodisponibilidade ideal relativamente às outras formas de ácido fólico, pois fica disponível de imediato para uma utilização celular, sem necessidade de qualquer transformação metabólica. Trata-se igualmente de uma forma totalmente segura, que não acarreta qualquer subida dos níveis de ácido fólico não metabolizado.

Associados à vitamina B12, os folatos asseguram a conversão da homocisteína em metionina. A toma de um suplemento com Quatrefolic® é por isso preferível à toma de um suplemento de ácido fólico, dado que este fica imediatamente disponível para reagir com a homocisteína e evitar assim a hiperhomocisteinémia.

Quatrefolic® is a registered trademark of Gnosis Spa. Copyright© 2022 Gnosis S.p.A. All rights reserved.

A importância do Gengibre NauseaStop® na Composição do GestaCare Gestação 35+

Está estabelecido que 80% das mulheres tem náuseas e vómitos durante a gravidez, com especial severidade no primeiro trimestre de gravidez. São deste modo inúmeras as mulheres que sofrem de indisposição, de náuseas e vómitos, com reflexo na alimentação e no aporte de micronutrientes indispensáveis à formação do feto.

Mesmo em situações moderadas, os estudos salientam a importância de se encorajar as mulheres grávidas a procurar ajuda junto do seu médico assistente!

 

Saiba mais aqui sobre a fonte de gengibre NauseaStop® presente na composição do GestaCare Gestação 35+.

LifeWell GestaCare Sintomas Gravidez Grávida Maternidade Fertilidade Náuseas Amamentação

Uma cápsula por dia ao deitar.

Quatrefolic

O Quatrefolic (Vitamina B9, Ácido Fólico) é um ácido fólico biologicamente ativo, patenteado, que difere do ácido fólico sintético normalmente encontrado noutros suplementos pelo facto de ser uma forma final de folato que o organismo consegue imediatamente utilizar sem qualquer necessidade de metabolização, garantindo assim a dose diária recomendada e impedindo uma potencial acumulação de ácido fólico não metabolizado no sangue.

Este novo folato contribui para o normal metabolismo da homocisteína, processo de divisão celular e crescimento dos tecidos fetais e maternos durante a gravidez.

DHA Vegetal

O DHA é crítico para o crescimento e desenvolvimento do sistema nervoso central fetal e infantil, bem como na função visual e neuronal e no metabolismo neurotransmissor. Os suplementos que contemplam DHA de origem animal apresentam um significativo inconveniente para a mulher grávida, uma vez que agravam as náuseas e os vómitos.

O DHA de GestaCare é extraído a partir de microalgas, o que permite garantir um óleo de DHA de origem vegetal de qualidade superior e com características únicas, nomeadamente um aroma e sabor mais agradáveis, além da sua elevada capacidade de absorção.

Colina

Está estabelecido na evidência científica mais recente, que a Colina no contexto da gravidez está associada ao neurodesenvolvimento fetal, com efeito neurocognitivo benéfico e diminui o risco de desenvolvimento de doenças mentais.

Vitamina D3

A Vitamina D assegura, durante a gravidez, as necessidades de cálcio do feto e mais tarde do recém-nascido. A vitamina D existe nos suplementos preconceptivos com o objectivo de garantir uma adequada implantação embrionária.

Gengibre

Vários estudos clínicos comprovam o uso de gengibre para náuseas e vómitos no contexto da gravidez, em alternativa às opções medicamentosas conhecidas. GestaCare oferece NauseaStop®, uma fonte de gengibre desenvolvida para as náuseas e vómitos na gravidez.

Outros Componentes

Minerais: Ferro, Magnésio, Zinco, Manganês, Cobre, Iodo e Selénio. Vitaminas: B1, B2, B3, B5, B6, B8, B12, Vitamina C e Vitamina E.

Os suplementos alimentares não devem ser utilizados como substitutos de um regime alimentar variado. É importante manter um estilo de vida saudável. Leia atentamente o folheto incluso nas embalagens. Em caso de dúvida, consulte o seu médico ou farmacêutico. Manter fora da vista e do alcance das crianças. Conservar em lugar fresco e seco. Todos os suplementos alimentares comercializados pela LifeWell foram fabricados de acordo com as melhores praticas internacionais de produção e devidamente examinados, validados e autorizados pela respetivas autoridades de saúde em Portugal.

GestaCare Gestação 35+

Nota Editorial: Esta página e todos os outros conteúdos presentes em lifewell.pt são elaborados e revistos por médicos especialistas em Portugal.

Fontes:

Frick AP. Advanced maternal age and adverse pregnancy outcomes. Best PractRes Clin ObstetGynaecol, 2021 Jan;70:92-100.

Claramonte NietoM. Impact of aging on obstetric outcomes: defining advanced maternal age in Barcelona. BMC Pregnancy Childbirth, 2019 Sep 23;19(1):342.

\n