Contraceção

Os métodos contracetivos têm por objetivo prevenir e evitar uma gravidez indesejada. A escolha do método contracetivo é uma escolha que envolve frequentemente o balanço de vários fatores, tanto clínicos como económicos.

Algumas opções contracetivas, devido aos avanços da Medicina, oferecem hoje um bom equilíbrio entre baixas dosagens hormonais e elevados níveis de eficácia. A oferta existente contempla várias opções diferenciadas que conseguem atender às diferentes necessidades da mulher, que continua a ser a principal decisora nesta temática. O preservativo, no entanto, permanece como o único método contracetivo que protege contra Infeções Sexualmente Transmissíveis.

Existem diversas questões que devem ser colocadas na escolha responsável do método contracetivo: é eficaz? É reversível? Está adaptado ao meu estilo de vida? É a melhor opção dado o meu contexto clínico?

Apenas um médico pode dar um aconselhamento profissional adequado. Cada mulher é única, e, com todas as opções que estão disponíveis, pode adaptar a contraceção à sua rotina e condição clínica.

Contraceção LifeWell

Método contracetivo hormonal de utilização diária, com uma eficácia de 99% quando tomada corretamente. Existem pílulas com e sem estrogénio.

Método não hormonal de utilização única que atua como método barreira. É o único método que protege contra IST. Existem o preservativo masculino e o preservativo feminino.

Anel de textura suave e flexível que se insere na vagina uma vez por mês. É um método hormonal combinado que liberta hormonas regularmente para a corrente sanguínea. É um método para as mulheres que não pretendem contraceção oral ou um regime de toma diária. Os níveis hormonais constantes são inferiores ao da pílula, podendo haver menos efeitos secundários associados.

Veja mais aqui…

Método contracetivo de longa duração até 3 anos e que contém apenas progestagénio. Deve ser colocado pelo médico durante uma consulta.

Método de utilização semanal que consiste num adesivo que liberta diariamente hormonas através da pele para a corrente sanguínea.

Os SIU (com hormonas) e DIU (com cobre) são métodos de longa duração até 5 anos, como elevada eficácia e que devem ser colocados pelo médico durante uma consulta.

Dispositivo de borracha flexível que se introduz na vagina.

Injeção hormonal com um, dois ou três meses de duração.

Contracetivo químico que se coloca na vagina e diminui a capacidade de fecundação dos espermatozoides.

Vários métodos que implicam o conhecimento do ciclo menstrual, normalmente de difícil utilização e que exigem um alto nível de organização por parte da mulher.

Intervenção cirúrgica irreversível de interrupção das trompas (laqueação de trompas) ou do canal deferente (vasectomia).

Método de inibição da ovulação que pretende prevenir a gravidez após o ato sexual.

Uma mulher que recorre frequentemente à contraceção de emergência deve consultar o seu médico de forma a reavaliar as suas opções contracetivas.

Pode encontrar o Resumo das Características do Medicamento de cada um destes métodos no website do Infarmed.

A procurar alternativas para a sua contraceção atual?

Nota Editorial: Esta página e todos os outros conteúdos presentes em lifewell.pt são elaborados e revistos por médicos especialistas em Portugal.