Bexiga Hiperativa e Incontinência Urinária de Urgência

Bexiga e sua função no sistema urinário

A bexiga urinária é um órgão do sistema urinário com função de armazenar a urina produzida nos rins. É um órgão muscular liso com capacidade de armazenar entre 650 a 750 mL de urina. A Bexiga fica localizada na parte inferior da cavidade abdominal.

A urina é produzida nos rins e desce dois tubos chamados ureteres até a bexiga. A bexiga armazena a urina, permitindo que a micção seja pouco frequente e controlada.

Bexiga Hiperativa - O que é?

Estima-se que cerca de 17% da população europeia com mais de 40 anos sofra de bexiga hiperativa. Não se trata de uma doença, mas de um conjunto de sintomas que afeta o comportamento deste órgão. É um distúrbio neuromuscular, no qual o músculo da parede da bexiga se contrai inapropriadamente durante o seu enchimento, comprometendo a fase de armazenamento. Como consequência, quem sofre deste problema pode sentir um impacto negativo na sua qualidade de vida. A síndrome da bexiga hiperativa não escolhe sexo nem idades, apesar de ser mais comum em mulheres a partir dos 60 anos.

A bexiga hiperativa não é, do ponto de vista clínico, considerada uma doença. É antes um conjunto de sintomas, dos quais se destaca a súbita vontade em urinar e a perda involuntária de urina (também conhecida como incontinência urinária).

A bexiga hiperativa consiste numa contração, ou aperto involuntário e repentino, do músculo da parede da bexiga, mesmo que o volume de urina seja reduzido.

Sintomas de Bexiga Hiperativa

Necessidade frequente, intensa e urgente em urinar. Este é o principal e mais comum sintoma de bexiga hiperativa.

São habitualmente um conjunto de sintomas que provocam esta condição como a necessidade urgente de urinar, com ou sem incontinência (perda involuntária de urina), habitualmente acompanhada de frequência e de aumento no número de micções noturnas (nictúria), na ausência de infeção ou outra doença que possa explicar esses sintomas.

Causas para Bexiga Hiperativa

As causas para bexiga hiperativa são ainda desconhecidas. Mesmo assim, sabe-se que algumas condições podem contribuir para alguns sintomas deste problema:

– Acidente vascular cerebral e esclerose múltipla

– Diabetes

– Medicamentos que aumentam a produção de urina

– Infeções agudas do trato urinário

– Tumores ou pedras no sistema urinário

– Consumo excessivo de cafeína ou álcool

– Declínio da função cognitiva devida ao envelhecimento

– Esvaziamento incompleto da bexiga

Bexiga Hiperativa – Prevenção

Existem algumas atividades que podem reduzir o risco de desenvolvimento de bexiga hiperativa: prática regular de exercício físico, redução do consumo de cafeína e álcool, não fumar, tratamento e controlo de doenças crónicas, como a diabetes, que podem contribuir para a bexiga hiperativa e a realização de exercícios para fortalecimento os músculos pélvicos.

Regra geral, a síndrome da bexiga hiperativa pode ser controlada com algumas modificações no estilo de vida. Porém, quando tal não é suficiente, o médico pode optar por traçar um tratamento específico.

Bexiga Hiperativa – Tratamento

Existem diversos medicamentos que podem ser utilizados, com maior ou menor eficácia e maior ou menor taxa de efeitos secundários. São a primeira linha de tratamento das incontinências por Bexiga Hiperativa.

São exemplo disso os medicamentos comparticipados Anticolinérgicos diretos ou também chamados de Antimuscarínicos (como por exemplo, a Solifenacina, o cloreto de Trospium e a Oxibutinina).

Nota Editorial: Esta página e todos os outros conteúdos presentes em lifewell.pt são elaborados e revistos por médicos especialistas em Portugal.