Anel Vaginal

O anel vaginal é um contracetivo hormonal combinado, que tem na sua composição estrogénio e progestagénio de libertação gradual e regular e que são absorvidos pelos vasos sanguíneos que se encontram na vagina.

O anel é um contracetivo colocado pela própria mulher, pelo que não depende de nenhum procedimento médico. A sua característica maleável e flexível, assim como o seu tamanho de apenas 5cm de diâmetro, permite que seja facilmente inserido na vagina, uma vez por mês.

Anel Vaginal LifeWell

O anel vaginal é um método para mulheres que não desejam uma contraceção oral, procuram uma melhor opção em termos de problemas com esquecimentos e regularidade da toma e que desejam simplificar a sua opção contracetiva. Tem uma eficácia comprovada de 99%, igualmente à pílula.

Qualquer mulher saudável que procure um método contracetivo eficaz pode optar pelo anel vaginal, sendo que deve sempre consultar o seu médico ou profissional de saúde para um aconselhamento personalizado.

Atuação

O anel atua através das duas hormonas presentes no método, o etonogestrel (progestativo) e etinilestradiol (estrogénio), que são libertadas diariamente para a corrente sanguínea de forma regular e diária. Este é um método inibidor da ovulação, ou seja, impede que haja libertação de óvulos dos ovários e, portanto, a fecundação.

Colocação

A eficácia do anel vaginal depende da sua colocação na vagina pela mulher. Muitas mulheres afirmam que a colocação é simples e fácil, sendo que é apenas necessário empurrar o anel com os dedos até ao interior da vagina. Dada a sua textura e flexibilidade, desliza facilmente e permite que a mulher não o sinta na parte superior da vagina. A eficácia não é comprometida pela posição do anel, que se adapta ao corpo da mulher.

Quando inicia a utilização do anel deve ter em consideração o momento e o tipo de contraceção que até então fazia:

O anel deve ser inserido no primeiro dia da menstruação, sendo que neste caso existe uma eficácia imediata.

No mais tardar, a colocação do anel deve ser feita até ao dia seguinte posterior ao intervalo sem pílula.

No mais tardar, a utilização do anel deve ser iniciada até ao dia seguinte posterior ao intervalo sem o sistema.

Pode interromper a toma em qualquer dia, iniciando o anel no dia seguinte. Nos primeiros 7 dias da troca de métodos, deve utilizar um segundo método contracetivo.

O anel pode ser colocado no dia da injeção, ou no próprio dia da remoção do implante ou SIU. Nos primeiros 7 dias da troca de métodos, deve utilizar um segundo método contracetivo.

Na situação de pós-parto ou aborto, deve sempre consultar o médico ou profissional de saúde para um melhor aconselhamento.

A partir da sua colocação, o anel permanece na vagina durante 3 semanas, sendo posteriormente retirado idealmente no mesmo dia de semana e à mesma hora em que foi colocado. Tal como um tampão, para retirar o anel basta introduzir um ou dois dedos na vagina para o encontrar e puxar.

Durante a quarta semana, sem o anel, ocorre a hemorragia vaginal, ou seja, a menstruação. Passados 7 dias, exatamente no mesmo dia da semana e hora que foi removido, um novo anel deve ser introduzido. Durante esta semana, a eficácia do anel contracetivo mantem-se, pelo que se a utilização do anel for correta, estará protegida contra uma gravidez.

Vantagens e desvantagens

O anel vaginal é hoje entendido como um método contracetivo de elevada eficácia e muito conveniente para a mulher que não pretende estar num regime de toma diária. Não existe qualquer inconveniente no dia-a-dia da presença do anel na vagina ao longo de 3 semanas, sendo que é considerado um método higiénico que não interfere, inclusivamente, com a atividade sexual.

No seguinte quadro-síntese consegue facilmente ver as vantagens e desvantagens do anel contracetivo:

Anel Vaginal LifeWell

VantagemDesvantagem
Fácil utilizaçãoNão protege contra as Infeções Sexualmente Transmissíveis
Não requer uma toma diária, pelo que há uma menor probabilidade de esquecimentoNão é indicado a mulheres que não possam tomar estrogénios
Regula e controla o ciclo menstrual
Melhora a dismenorreia (dores menstruais)
Uma vez que é um método que não depende do sistema digestivo, a sua eficácia não é afetada por vómitos ou diarreia
Não é ingerido, sendo uma boa opção para mulheres com distúrbios do sistema digestivo
A fertilidade regressa a partir do momento que é retirado
Não interfere com as relações sexuais
A sua eficácia não é interferida por outros medicamentos, nomeadamente alguns antibióticos

Dúvidas Frequentes

Mesmo se esquecer de retirar o anel, a eficácia mantém-se por 4 semanas. Pode retirar o anel e fazer o intervalo de 1 semana, colocando um novo 7 dias depois.

Se passar das 4 semanas, é importante contactar um médico uma vez que já não está protegida contra uma gravidez. Com a certeza de que não está grávida, logo que possível pode colocar um novo anel vaginal, acompanhado de um segundo método por 7 dias.

O anel não deve ser sentido no dia-a-dia e não deve ser incómodo para a mulher.

Não, geralmente o anel não é sentido e não deve provocar dor.

O anel não sai da vagina, a não ser que seja expelido ou retirado. A expulsão do anel acontece apenas em situações específicas, como por exemplo com a sua má colocação ou durante as relações sexuais. Caso saia da vagina, pode ser lavado apenas com água fria e introduzido novamente. É importante referir que o anel não pode estar mais de 3 horas fora da vagina, uma vez que perde a sua eficácia.

O anel não deve ser retirado, inclusivamente durante as relações sexuais. Se por acidente o anel sair, pode ser lavado com água fria e colocado novamente até 3 horas depois da expulsão, e nunca depois, pois já terá a sua eficácia comprometida.

Não é necessário retirar o anel vaginal para um exame ginecológico.

Não. Pelo contrário, o estrogénio promove o aumento dos microrganismos que equilibram a flora vaginal.

Sim, não existe nenhuma incompatibilidade de utilização de ambos ao mesmo tempo. Caso exista a eventualidade do anel sair com a retirada do tampão, basta lavá-lo apenas com água fria e voltar a inseri-lo na vagina.

Não, uma vez que o anel não sai facilmente da vagina, quando bem colocado, não existe qualquer incompatibilidade entre o anel vaginal e o exercício físico.

O canal de ligação entre a vagina e o útero tem apenas 1mm de diâmetro, pelo que o anel não consegue passar por este canal.

Efeitos Secundários

Consulte o folheto informativo.

Mais Informações

Para mais esclarecimentos fale com um profissional de saúde ou com a sua farmácia.

Pode encontrar mais informações sobre o anel vaginal no website da Direção Geral de Saúde, no website da APF ou ainda neste folheto.

Nota Editorial: Esta página e todos os outros conteúdos presentes em lifewell.pt são elaborados e revistos por médicos especialistas em Portugal.