Contraceção Sem Estrogénio

Contraceção sem estrogénio?

Uma minipílula ou uma pílula da amamentação é contracetivo sem estrogénio.

Uma pílula sem estrogénio é tão eficaz, tal como a pílula combinada, mas apenas contém uma pequena quantidade de um progestagénio. A ausência de estrogénio torna-a recomendada para as mulheres em fase de aleitamento, intolerantes ao estrogénio ou que sofram de efeitos secundários relacionados com o estrogénio, provocados pela pílula combinada.

O que é um progestativo oral contracetivo?

Também conhecidos por minipílula, os “POP” («Progestogen-only pill») atuam tendo por base a sua especificidade na fisiologia reprodutiva e as suas ações incluem:

– Inibição da ovulação;

– Alterações do endométrio, dificultando ou impossibilitando a implantação;

– Alterações da mobilidade tubárica.

 

A pílula sem estrogénio oferece uma inibição consistente da ovulação e aumenta a consistência do muco cervical. Os estudos indicam que esta pílula é muito eficaz.

Pode ser tomada com um atraso até 12 horas se a utilizadora se esquecer de a tomar no horário normal.

Por vezes pode causar hemorragias entre os períodos menstruais.

Em que situações se recomenda a utilização de um contracetivo "POP"?

  • No pós-parto/ amamentação;
  • Combinação de fatores de risco cardiovascular (obesidade, tabaco, idade);
  • Idade superior a 35 anos;
  • Mulheres com enxaquecas
  • Fatores de risco tromboembólico (trombofilia, história familiar, trombose venosa profunda aguda com terapêutica anticoagulante);
  • Risco arterial (hipertensão, enxaqueca, doença cardíaca);
  • Diminuição da intensidade dos períodos.

A minipílula ou pílula da amamentação possui um risco tromboembólico reduzido!

Os progestagéneos têm um impacto reduzido no processo de coagulação sanguínea. Os estudos epidemiológicos não identificam um risco significativo de doença tromboembólica venosa ou arterial. Por conseguinte, os “POP” podem ser utilizados ​​por mulheres com contraindicação para os anticoncecionais hormonais combinados ou nas situações em que a sua utilização não é recomendada.

Como iniciar a toma de uma minipílula?

A toma pode ser iniciada nos 5 dias seguintes ao início da menstruação (de preferência no primeiro dia da menstruação). Se o início da toma se fizer após 5 dias desde o início da menstruação, deve utilizar-se proteção adicional durante 7 dias.

Idealmente, deve ser tomada à mesma hora todos os dias, mas um atraso de até 12 horas não afeta a sua eficácia.

 

Qual é a eficácia de um contracetivo ou pílula sem estrogénio?

A eficácia de um contraceptivo exprimi-se pelo número de gravidezes que ocorrem em 100 mulheres, que utilizam o método durante 1 ano. Os médicos chamam -lhe o Indíce de Pearl. Por exemplo, se um contraceptivo tem um Indíce de Pearl de 1%, significa que 1 mulher em 100 ficará grávida durante a sua utilização por um período de 1 ano. Por outras palavras este método tem 99% de eficácia.

Se a utilização for a correta, regular e continuada a eficácia é muito similar à pílula oral combinada e as taxas de falha são tão baixas quanto 0.3 por 100 mulheres ano durante o primeiro ano de utilização.

Eficácia de 99% (www.infarmed.pt), desde que tomada corretamente.

Mais Informações

Pode encontrar mais informações sobre a contraceção nesta página.

Nota Editorial: Esta página e todos os outros conteúdos presentes em lifewell.pt são elaborados e revistos por médicos especialistas em Portugal.

Bibliografia

-Regidor PA. The clinical relevance of progestogens in hormonal contraception: Present status and future developments. Oncotarget. 2018;9(77):34628-34638. Published 2018 Oct 2. doi:10.18632/oncotarget.26015

-Le Moigne E, Tromeur C, Delluc A, et al. Risk of recurrent venous thromboembolism on progestin-only contraception: a cohort study. Haematologica. 2016;101(1):e12-e14. doi:10.3324/haematol.2015.134882

-De Melo NR. Estrogen-Free Oral Hormonal Contraception: Benefits of the Progestin-Only Pill. Women’s Health. September 2010:721-735. doi:10.2217/WHE.10.36

\n