fbpx

A Síndrome do Ovário Poliquístico, a Fertilidade e o Tratamento

Maio 22, 2020
sindrome do ovario poliquistico

Síndrome do Ovário Poliquístico

A Síndrome do Ovário Poliquístico afeta entre 5 a 10% das mulheres em idade fértil, sendo conhecida por ser uma das principais causas da infertilidade feminina.

Conheça abaixo várias informações relevantes sobre a Sindrome do Ovário Poliquístico, desde as causas, diagnóstico, tratamento a alguma dicas de prevenção e gestão da sintomatologia.

sindrome do ovario poliquistico

O que é a Síndrome do Ovário Poliquístico?

A Síndrome do Ovário Poliquístico (SOP) é definida por um distúrbio hormonal na mulher que se caracteriza pelo hiperandrogenismo, ou o excesso de hormonas masculinas, e a possível ausência de ovulação e irregularidades menstruais. Estes são geralmente causados pela presença de quistos foliculares no ovário, que não se desenvolveram naturalmente e, portanto, não romperam e ovularam.

Uma vez que a sintomatologia difere de mulher para mulher, a SOP é muitas vezes definida pelos seus sintomas e não pela presença de quistos ováricos.

 

Quais são os sintomas?

A Síndrome do Ovário Poliquístico apresenta sintomas gerais como o aumento de peso, irregularidade menstrual ou amenorreia, anovulação, sinais de excesso de hormonas masculinas, como a acne e o hirsutismo e presença de múltiplos quistos ováricos. Outros sintomas passam pela fadiga, dificuldade em adormecer, alterações de humor, depressão, ansiedade e cefaleias.

Uma vez que a sintomatologia difere de mulher para mulher, existem muitas mulheres com SOP que na verdade estão dentro do seu peso ideal. O diagnóstico deve, por isso, ser feito com uma avaliação completa dos sintomas, assim como com uma avaliação física. Podem ser necessários exames complementares e análises.

O que causa a Síndrome do Ovário Poliquístico?

Ainda não são conhecidos os fatores que originam a SOP. Hoje, estima-se que o seu desenvolvimento está relacionado com o excesso de produção de insulina, o que leva a um desequilíbrio hormonal.

Existem, no entanto, fatores que influenciam a Síndrome do Ovário Poliquístico, tais como a idade, o peso, uma possível pré-disposição genética, e fatores socio-emocionais, onde estudos apontam que o stress e a saúde emocional influenciam a severidade da SOP.

 

Qual é a relação entre a Síndrome do Ovário Poliquístico e a Infertilidade?

Muitas mulheres têm dificuldade em engravidar quando têm SOP porque esta pode gerar anovulação, ou a ausência de ovulação. Esta dificuldade é agravada quando sucessivas tentativas de conceção levam ao stress e à frustração, tornando o processo ainda mais difícil.

sindrome ovario poliquistico

Qual é o tratamento para a Síndrome do Ovário Poliquístico?

O tratamento deve sempre ser decidido caso a caso, de acordo com a sintomatologia e o desejo da mulher a cada momento. Os primeiros passos na gestão da SOP passam por ter um estilo de vida saudável, o que inclui:

– Alimentação equilibrada

– Prática regular de exercício físico

– Perda de peso, uma vez que favorece a redução dos níveis de androgénios e melhora a função ovárica.

 

  • A contraceção e a Síndrome do Ovário Poliquístico

Caso a mulher apenas deseje controlar os níveis de androgénios (acne), a contraceção ajuda na regulação hormonal, regulação da pilosidade corporal e da acne, irregularidades menstruais e prevenção do aparecimento de novos quistos e desenvolvimento do cancro do endométrio.

 Consulte aqui mais informações sobre o anel vaginal, uma das opções contracetivas neste momento no mercado.

 

  • A conceção e a Síndrome do Ovário Poliquístico

Apesar ainda não existir um tratamento desta patologia, existem soluções para a gestão da sintomatologia e também para a possibilidade de uma gravidez bem-sucedida.

O Inositol é fortemente associado ao tratamento da SOP. Vários estudos sublinham a importância do Inositol no desenvolvimento e crescimento das células. O Myo-Inositol regula a secreção das glândulas, como os ovários, sendo responsável pelo desenvolvimento saudável do óvulo, uma vez que a presença de Myo-Inositol no fluído folicular tem uma correlação positiva com a qualidade e maturação do óvulo. A combinação de Myo-Inositol e de D-Chiro-Inositol aumenta a qualidade do óvulo e está associada a rácios positivos de gravidez em mulheres com SOP.

De forma geral, o Inositol está fortemente associado à capacidade de resposta do ovário às hormonas naturais que são produzidas pela glândula pituitária da mulher e ajuda a reestabelecer a recorrência da ovulação, alem do benéfico efeito na resistência à insulina relacionada com a SOP.

Que outros ativos têm um papel relevante na gestão da SOP e fertilidade feminina?

Uma terapia combinada tem mais vantagens do que a toma única de Inositol, uma vez que hoje é reconhecido o papel de vários outros ativos na gestão da Síndrome do Ovário Poliquístico.

A Vitamina D é crucial para uma gravidez saudável, estando envolvida em muitos processos do ciclo reprodutor na mulher. Estudos referem a existência de recetores de Vitamina D no ovário, na placenta e no endométrio, promovendo a implantação embrionária. Uma deficiência em Vitamina D contribui para um desenvolvimento lento dos folículos nos ovários, o que pode levar à anovulação. Torna-se de extrema importância para mulheres que procuram tratamentos de fertilidade e procriação medicamente assistida.

O Zinco é também um importante antioxidante que intervém em inúmeros processos normais de fertilidade e reprodução, sendo ainda necessário para a diferenciação e divisão celular e bom funcionamento do sistema imunológico. É fundamental para todas as mulheres que desejam engravidar.

sindrome ovario poliquistico

O Ácido Fólico é de elevada importância, dado que está associado à segurança na gravidez e à prevenção de defeitos congénitos do feto. Muitas mulheres desconhecem a relevância da toma do ácido fólico três meses antes da conceção, que é internacionalmente recomendado pela Organização Mundial de Saúde e principais organismos nacionais e internacionais.

 InoCare

InoCare é uma formulação de elevado reconhecimento científico nacional e internacional, desenvolvida para a regulação dos ciclos menstruais, ovulação, fertilidade e apoio na Procriação Medicamente Assistida (PMA). Por dispor de uma combinação de Myo-Inositol e D-Chiro-Inositol, influência vários processos fisiológicos do organismo relacionados com a ação da insulina e a regulação e qualidade da ovulação, ação particularmente importante em mulheres que desejam gerir a sintomatologia da Síndrome do Ovário Poliquístico.

Com uma composição baseada na mais recente evidência científica, dispõe ainda de Zinco, que otimiza os processos normais de fertilidade e reprodução, Vitamina D3, relevante no apoio à adequada implantação embrionária, e Quatrefolic, um Ácido Fólico patenteado de última geração, fundamental nos processos de divisão e crescimento celular, em particular na gravidez, e na prevenção de desenvolvimento de defeitos congénitos. Este novo ácido fólico tem especial relevância no contexto da fertilidade, dada a sua particular pertinência e ação em mulheres com dificuldade de obter uma conceção natural ou quando submetidas a tratamento por técnicas de Procriação Medicamente Assistida.