Cálculos urinários do trato urinário superior

Cálculos urinários do trato urinário superior

Os cálculos, “pedras”, do rim e ureter (canal que liga o rim à bexiga) são cada vez mais frequentes, podendo atingir uma prevalência de 20%. A doença é mais frequente nos homens e ocorre, sobretudo, entre os 30 e os 60 anos de idade.

Quais os fatores de risco associados a esta doença?

Os países mediterrânicos, como Portugal, são dos que apresentam maior prevalência, sendo a patologia mais frequente nos meses de Verão. As profissões que implicam exposição ao calor e desidratação constituem fatores de risco, tais como as mais sedentárias. O excesso de peso, a diabetes, a elevação do colesterol / triglicerídeos e a hipertensão arterial aumentam o risco de cálculos. A maioria são de cálcio, seguido dos de ácido úrico e associados a infeções urinárias crónicas. Apresentam uma taxa de recorrência elevada e contribuem significativamente para o risco de insuficiência renal (falha na função dos rins) se não forem vigiados e, quando necessário, atempadamente tratados.

Qual é a principal manifestação da doença?

A principal manifestação da doença é a cólica renal (dor lombar ou abdominal), sendo o diagnóstico geralmente efetuado após um episódio de dor. Podem ainda originar urina com sangue e queixas urinárias similares às de uma infeção urinária. Muitas vezes os doentes estão assintomáticos e apenas descobrem após a realização de um exame de imagem (ecografia, TAC, etc.) destinado a outro problema de saúde.

Tratamento dos cálculos renais

Durante um episódio de cólica renal o tratamento é dirigido à dor. Em determinadas situações pode ser necessária uma cirurgia de urgência. O tratamento eletivo dos cálculos pode ser feito através de medicação, litotrícia extracorporal por ondas de choque (procedimento não invasivo para fragmentação dos cálculos) ou cirurgia – mais frequentemente pela via endoscópica, sem necessidade de incisões (com recurso a laser), por vezes por via percutânea (através de uma pequena incisão na pele criando um trajeto até ao rim) e muito raramente por cirurgia laparoscópica ou aberta.

As principais indicações para o tratamento são a presença de sintomas, cálculos volumosos, obstrução à passagem de urina, infeções frequentes ou insuficiência renal. As complicações são infrequentes e facilmente resolvidas. A recuperação é rápida, estando o utente apto para o seu trabalho em poucos dias.

Os indivíduos com cálculos urinários devem manter uma vigilância regular. A prevenção de novos cálculos consiste numa dieta regrada, adoção de estilos de vida saudáveis e, em casos específicos, toma de medicamentos.

Dra. Viviana Magno Azevedo
Urologia
Hospital da Senhora da Oliveira - Guimarães
Grupo Trofa Saúde - Unidade de Alfena, Maia e Guimarães

O conteúdo cientifico reproduzido nesta página foi desenvolvido pelo profissional de saúde mencionado.

Partilhe esta publicação


\n